abertura

Palavras do Autor

Depois de cerca de 14 anos de trabalho, iniciado em 1991, entrego ao caro leitor o livro "Família Junqueira: sua História e Genealogia".

O Patriarca de nossa família, João Francisco Junqueira, casou-se, em 1758, com Elena Maria, neta de uma das irmãs Ilhoas. Após o casamento, localizaram-se no Sul de Minas, na Freguesia de Carrancas. Ali, ele requereu a Sesmaria do Campo Alegre, berço de nossa família. O Patriarca teve uma longa vida, faleceu aos 91 anos, em 5 de abril de 1819. Tiveram 6 filhos que chegaram à maioridade, os quais, por sua vez, deixaram enorme descendência. Ainda em vida, pôde ver o enriquecimento de seus filhos graças à agricultura e ao comércio com a capital. Nessa época, final do século XVIII e começo do século XIX, há o florescimento do café no Vale do Paraíba, estando alguns membros da família Junqueira entre os muitos que contribuíram para esse desenvolvimento. Também em vida, o Patriarca assistiu à partida de seus netos, que passaram, juntamente com outros tantos desbravadores, a povoar as planícies do noroeste paulista, desde São Simão-SP até Uberaba-MG.

A partir deste núcleo central, a Família Junqueira foi se expandindo, tomando parte importante na história da colonização do Sul de Minas, Centro-Oeste do Brasil, etc. Depois da 4a geração a família foi, geometricamente, aumentando e, hoje, espalha-se por todo o território nacional, com ramos que atravessaram os oceanos, localizando-se em diversos países.

Para a estruturação de nosso livro, distribuímos cerca de 45.000 questionários por todo o Brasil. Este era um formulário que resumia a ficha cadastral daquela pessoa, informando sobre seus dados pessoais, de seus avós, bisavós, filhos, histórias interessantes sobre sua família, envio de fotos, etc. Com isso, amealhamos dados os quais nos permitem afirmar que somos, hoje, aproximadamente 100.000 Junqueiras descendentes de um único casal - os Patriarcas de nossa família!
Neste trabalho, demos prioridade às quatro primeiras gerações. Não poderia ser de outra forma, senão teríamos que duplicar, ou, talvez, triplicar o número de volumes - o que tornaria inviável a publicação desta obra.

Este livro não poderia ter sido escrito se já não existissem, anteriormente, os trabalhos de José Olynto Fortes Junqueira (Zezico), de Dr. Haroldo Monteiro Junqueira e principalmente o extraordinário trabalho de Frederico de Barros Brotero, com as duas edições do livro "Memórias e Tradições da Família Junqueira".

Quero agradecer, fazendo uma menção especial, ao Ministério da Educação e Cultura que, pela Lei Rouanet de incentivo à cultura, permitiu-nos captar, de nossos generosos patrocinadores, recursos fiscais que perfizeram a considerável importância pela qual, ao terminar nosso livro, pudesse, enfim, levar ao fim e ao cabo, sua publicação. São eles: Bunge Fertilizantes S.A.; Banco Bradesco S/A.; AGCO do Brasil Comércio e Indústria Ltda (Massey Ferguson); Morlan S/A; Companhia Açucareira Vale do Rosário; Alta Mogiana S/A - Açúcar e Álcool; Usina de Açúcar e Álcool MB Ltda; Usina Mandu S/A; Usina Moema Açúcar e Álcool Ltda; Autovias S/A e Jardest S/A Açúcar e Álcool.

Quero particularmente agradecer às pessoas que muito colaboraram comigo: Maria Dione Borges Junqueira de Mattos; Veríssimo João Dias Neto (Lilo); Amauri Faria de Oliveira Filho; Eduardo Diniz Junqueira; Maria Carolina Gouvêa Junqueira (Dª May); Marta Amato; Fábio José Ferraz Pereira e aos milhares de parentes que responderam, prontamente, aos questionários. Agradeço, emocionado, à minha esposa e a meus filhos, principalmente Gisele e Rogério, os quais tanto contribuíram para a editoração e comercialização deste livro.

Por outro lado, dado ao fato de a grande maioria do texto contido em nosso livro "Família Junqueira: sua História e Genealogia", consistir de milhares de dados que nos foram enviados através dos questionários-ficha, nós não podemos ser responsabilizados pela veracidade, ou deturpação, de qualquer material que nos foi enviado.

Levantamento de informações

Sobre a reprodução de dados e informações

 
José Americo Junqueira de Mattos

abertura